A meliponicultura na educação ambiental (EA)

Andrews Josiel Zapechouka, Frederico Fonseca da Silva

Resumo


DOI

O presente artigo é sobre a meliponicultura e como ela se encaixa na educação ambiental (EA), apresentando pontos teóricos sobre os dois temas e pontos de intersecção entre ambos para ajudar a compreender a prática educacional utilizando a temática da criação de abelhas sem ferrão. O objetivo principal é mostrar como a meliponicultura se encaixa na EA, partindo dos objetivos periféricos que são: apresentar os principais conceitos da EA, analisar a criação de abelhas sem ferrão e sua importância à natureza e fazer a convergência das temáticas para o processo de ensino. O artigo foi construído por meio de revisão bibliográfica com leituras exploratórias para a descrição dos fatos encontrados em trabalhos científicos sobre EA, meliponicultura e ensino. A principal justificativa para a escolha do assunto foi a necessidade de fortalecer bibliograficamente pesquisas nesta área. Os resultados colhidos foram: a EA é de fundamental importância para todos os níveis de ensino tanto que foi promulgada, no Brasil, uma lei específica para ela em 1999; a EA pode se utilizar de temas ambientais, que servem como temas geradores, para que, em cima de um deles, construir todo o processo de ensino com conteúdo, metodologia – métodos e técnicas – e avaliação; e, a meliponicultura é um ótimo tema ambiental, pois, podem ser desenvolvidas aulas na esfera teórica e na prática, estaque aliás oferece pouco risco e é bem atrativa para grande parte dos alunos. Conclui-se que a meliponicultura é um assunto que precisa cada vez mais espaço na EA.

 


Texto completo:

PDF (Português)

Referências


BATISTA, K.M.; MILIOLI, G. CITADINI-ZANETTE, V. (2019) Saberes tradicionais de povos indígenas como referência de uso e conservação da biodiversidade: considerações teóricas sobre o povo mbya guarani. Ethnoscientia, V. 4, p 1-17.

BRASIL (1999). Lei nº 9.975 de 27 de abril de 1999. Brasília: Casa Civil/Subchefia de Assuntos Jurídicos, 1999.

COLETTO-SILVA, A. (2005) Captura de enxames de abelhas sem ferrão (Hymenoptera, Apidae, Meliponinae) sem destruição de árvores. Manaus: Acta Amazonica, p. 383-388.

DOWBOR, L. (2017) A difícil transição para sociedades sustentáveis. P.27-38. IN: Educação, agroecologia e bem viver: transição ambientalista para sociedades sustentáveis/ Marcos Sorrentino; Maria Henriqueta Andrade Raymundo; Simone Portugal; Fernanda Corrêa de Moraes; Rafael Falcão da Silva (org.). Piracicaba, SP: MH-Ambiente Natural. 344 p.

GIL, A.C. (2002) Como elaborar projetos de pesquisa/Antônio Carlos Gil. - 4. ed. - São Paulo: Atlas.

GONÇALVES, J.R. (2021). Manual de artigo de revisão de literatura. (3ª ed.) Brasília: Instituto Processus, 78p.

IMPERATRIZ-FONSECA, V.L.; NUNES-SILVA, P. (2010) Abelhas No Código Florestal. BiotaNeotropica, vol. 10, no. 4, p. 59-62.

INPA - INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISA DA AMAZÔNIA (2012). Meliponicultura na Amazônia / Gislene Almeida Carvalho-Zilse et al. Manaus, 50 p.: il. color.

KERR, W.E.; CARVALHO, G.A.; SILVA, A.C.; ASSIS, M.G.P. (2001) Aspectos pouco mencionados da biodiversidade amazônica. Parcerias Estratégicas - Número 12 - Setembro, p. 20-41.

KERR, W.E.; CARVALHO, G.A.; NASCIMENTO, V.A. (1996). Abelha Uruçu: Biologia, Manejo e Conservação/ Warwick E. Kerr, Gislene A. Carvalho, Vânia A. Nascimento e colaboradores. Belo Horizonte, MG: Acangaú.

KINDEL, E.A.I. (2012) Educação Ambiental nos PCN. In: Educação Ambiental: da teoria à prática/Cassiano Pamplona Lisboaet al. [org.]. Porto Alegre: Mediação, p. 21-28.

KLEIN, A.M.; FREITAS, B.M.; BOMFIM, I.G.A.; BOREUX, V.; FORNOFF, F.; OLIVEIRA, M.O. (2020) A Polinização Agrícola por Insetos no Brasil: Um Guia para Fazendeiros, Agricultores, Extensionistas, Políticos e Conservacionistas. DOI: 10.6094/UNIFR/151237 iv.

LACERDA, D.C.O.; MONTENEGRO, M.L.; MEDEIROS, M.B. MARTINS, C.F.; SILVA, R.V.A. (2018) Uso da Meliponicultura como Ferramenta na Educação Ambiental. Cadernos de Agroecologia - ISSN 2236-7934 - Anais do VI CLAA, X CBA e V SEMDF - Vol. 13, N° 1.

LIBÂNEO, J.C. (2006) Didática. São Paulo: Cortez.

MATEUS, S; MENEZES, C; VOLLET-NETO, A. (2013) Leurotrigo namuelleri, a pequena pérola entre as abelhas sem ferrão. pp. 1-8. En Vit P & Roubik DW, eds. Stingless bees process honey and pollen in cerumen pots. Facultad de Farmacia y Bioanálisis, Universidad de Los Andes; Mérida, Venezuela.

MENDONÇA JUNIOR, M.S. (2012) Ecologia e Educação Ambiental: temas para um diálogo conceitual. In: Educação Ambiental: da teoria à prática/Cassiano Pamplona Lisboaet al. [org.]. Porto Alegre: Mediação, p. 121-136.

MORAES, F.C.; BATTAINI, V.; SACCONI, L.V.; CARVALHO, T.M. A; PAZ, S.M.R.; SORRENTINO, M. (2017) Movimento educador “Ecossocialismo e bem viver" P.19-26. In: Educação, agroecologia e bem viver: transição ambientalista para sociedades sustentáveis/ Marcos Sorrentino; Maria Henriqueta Andrade Raymundo; Simone Portugal; Fernanda Corrêa de Moraes; Rafael Falcão da Silva (org.). Piracicaba, SP: MH-Ambiente Natural, 344 p.

MOREIRA, W. (2004). Revisão de Literatura e Desenvolvimento Científico: conceitos e estratégias para confecção. Lorena: Janus, 30p.

NEMA - Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental. (2008) Agroecologia: um caminho amigável de conservação da natureza e valorização da vida / Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental – NEMA. Rio Grande: NEMA, 28 p.; il.

NÉRICI, I.G. Metodologia do ensino: uma introdução. 2ª ed. – São Paulo: Atlas, 1987.

NOGUEIRA-NETO, P. (1997) Vida e Criação de Abelhas indígenas sem ferrão. São Paulo: Editora Nogueirapis, 445 p.

NOGUEIRA-COUTO, R.H. (1998) As abelhas na manutenção da biodiversidade e geração de rendas. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE APICULTURA, Salvador-BA. Anais. Salvador.

PALAZUELOS BALLIVIÁN, J.M.P. (2008) Abelhas Nativas sem Ferrão. MỹgPẽ / Organizador José M. P. Palazuelos Ballivián - São Leopoldo: Oikos.

PARANÁ, Instituto Ambiental do Paraná. (2009) Plano de Conservação para Abelhas Sociais Nativas sem ferrão. IAP/ Projeto Paraná Biodiversidade.

QUEIROZ, A.C.M.; GOMES, J.T.; CONCEICAO, M.C.A.; VEIGA, J.C.; LEÃO, K.L.; MENEZES, C. (2017) Ações de Educação Ambiental em Meliponicultura. In: Simpósio de estudos e pesquisas em ciências ambientais na Amazônia. Anais. Belém-PA.

ROUBIK, D.W. (1995) Pollination of cultivated plants in the tropics. Rome: FAO. 195 p. Agricultural Services Bulletin, 118.

SÁ, N.P.; PRATO, M. (2007) Conhecendo abelhas: um projeto de ensino. Biosci. J., Uberlândia, v. 23, Supplement 1, p.107-110.

SEVILLA-GUZMÁN, E.S. (2001) Uma estratégia de sustentabilidade a partir da agroecologia. Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável, v. 2. Porto Alegre.

TOZONI-REIS, M.F.C. (2008) Metodologias Aplicadas à Educação Ambiental. 2ª ed. - Curitiba: IESDE Brasil S.A.

VIEIRA, S.R.; CAMPOS, M.A.T; SAHEB, D. (2020) Processos avaliativos em educação ambiental: inquietações, metodologias e a relevância de indicadores de avaliação. Revista de Pós-Graduação em Educação Momento: diálogos em educação, E-ISSN 2316-3110, v. 29, n. 2, p. 116-132.

VILLAS-BÔAS, J. (2012) Manual Tecnológico: Mel de Abelhas sem Ferrão. Brasília - DF. Instituto Sociedade, População e Natureza (ISPN). Brasil.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2022 Andrews Josiel Zapechouka, Frederico Fonseca da Silva

Educação Ambiental (Brasil) | ISSN: 2675-3782

Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn