Práticas de laboratório e campo na disciplina de bioindicadores ambientais: Percepção dos alunos de graduação do curso de Ciências Biológicas numa faculdade particular em Pernambuco

Juvenal Damasceno Amaral Filho, Moabe Clemente dos Santos, Ana Maria Rabelo de Carvalho Parahym

Resumo


Desenvolver estratégias que motivem os alunos em sala de aula proporciona melhorias na relação com o professor e com o aprendizado. Uma dessas estratégias vem a ser a promoção de aulas práticas para o fortalecimento do ensino do conteúdo teórico. Nesse sentido o presente trabalho teve como objetivo relatar experiências de forma qualitativa e investigativa de atividades pedagógicas como: aulas práticas no laboratório de ciências biológicas e coletas de microbiota em ambientes fitotelmicos bromélianos, vivenciadas por uma turma de 20 discentes do 8º período do Curso de licenciatura em Ciências biológicas da Faculdade Frassinetti do Recife durante a disciplina de Bioindicadores Ambientais orientada pela professora Ana Maria Rabelo de Carvalho em 2019.2. Aos participantes da pesquisa foi efetuado aplicação de um pós-questionário semi-estruturado abordando a relação de praticas educacional com a sua formação. Os resultados possibilitaram perceber a articulação entre a teoria e a prática para o ensino-aprendizagem, na formação dos futuros professores de biologia. Além disso, aspecto como o uso da pesquisa cientifica na licenciatura demonstra importante ferramenta na acuidade do acadêmico a cerca do emprego de suas experiências acadêmicas na sua realidade e no âmbito escolar. De fato concluímos a relevância desse instrumento didático para construção dos saberes e habilidades dos estudados.


Palavras-chave


Relação professor e aluno, Motivação, Ensino-aprendizagem.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


BORGES, A.T. Novos rumos para o laboratório escolar de ciências. Caderno Brasileiro de Ensino de Física, v.19, n. 3, p.291-313, dez. 2002.

CIÊNCIAS DA NATUREZA, MATEMÁTICA E SUAS TECNOLOGIAS/ SECRETARIA DE EDUCAÇÃO BÁSICA – Brasília: Ministério da Educação, Secretaria da educação Básica, 2006. 135 p. (Orientações curriculares para o ensino médio; volume 2).

CARVALHO, J. T.& Lemos, R. J. B., Construção de um jardim didático como ferramenta educacional para o ensino de botânica em uma escola pública de ensino médio na cidade de Parnaíba, Piauí/ Botânica na escola: enfoque no processo de ensino e aprendizagem/ Jesus Rodrigues Lemos (Organizador) 2016. – Curitiba: CRV, 2016. 146 p.

CALDEIRA, Ana Maria de Andrade; BASTOS, Fernando. A Didática como área de conhecimento. In: CALDEIRA, Ana Maria de Andrade; ARAUJO, Elaine S. Nicolini Nabuco de. (Orgs.). Introdução à Didática da Biologia. São Paulo, Escrituras, 2009, p.13-33.

CACHAPUZ, António et al. A emergência da didáctica das Ciências como campo específico de conhecimento. In. Revista Portuguesa de Educação, 2001, v.14, n.1, p.155-195.

DIAS, G. F. Educação Ambiental: princípios e práticas. 9a ed. São Paulo. Gaia, 2004.

DALBERIO, O. & Borges, M. C. D. Metodologia científica: desafios e caminhos/ Osvaldo Dalberio, Maria Célia Borges Dalberio. São Paulo: Paulus, 2009. – (Coleção educação superior). ISBN 978-85-349-3156-5

GOUVEA, G.; LEAL, M. C. Uma visão comparada do ensino em ciência, tecnologia e sociedade na escola e em um museu de ciências. Revista Ciência e Educação, Bauru, v. 7, n.1, p. 67-84, 2001.

GARCIA, M. F. F. Repensando a botânica. In: Coletânea do 7o Encontro Perspectivas do Ensino de Biologia, São Paulo, 2 a 4 de fev. 2001.

HOING, M. Interpretação Ambiental em Jardins Botânicos. Relatório da Rede de Diversidade Botânica da África. Austral 9: p.1-5, 2000.

KRASILCHIK, M. Prática de ensino de biologia. 4. ed. São Paulo: Edusp, 2004. 197 p. Prática de Ensino de Biologia. São Paulo: Editora da Universidade de São Paulo, 2005, 197p.

KNÜPPE, Luciane. Motivação e desmotivação: desafio para as professoras do Ensino Fundamental. Educar em Revista [en línea] 2006, [citado 2011-11-16]. Disponível em: http://redalyc.uaemex.mx/src/inicio/ArtPdfRed.jsp?iCe=155013354017. ISSN 0104- 4060.

LEITE, A. C. S.; SILVA, P. A. B.; VAZ, A. C. R. A importância das aulas práticas para alunos jovens e adultos: uma abordagem investigativa sobre as percepções dos alunos do PROEF II. Ensaio-Pesquisa em Educação em Ciências, Belo Horizonte, v. 7, n. 3, p. 1-16, 2005.

MENEZES, L. C.; et al. Iniciativas para o aprendizado de botânica no Ensino Médio. In: XI Encontro de Iniciação à Docência, UFPB-PRG, 2008.

MELO, E. A.; Abreu, F. F.; A. B. Andrade, A. B. & Araújo, M. I. O. A aprendizagem de botânica no ensino fundamental: dificuldades e desafios. Scientia Plena VOL. 8, NUM. 10, 101201 (2012).

MENDES, R. Dialogando saberes – pesquisa e prática de ensino na formação de professores de ciências e biologia. Rev. Ensaio | Belo Horizonte | v.07 | n.03 | p.202-219 | set-dez | 2005.

NURSE, P. The Importance of Biology Education. Journal of Biological Education, v.50, n.1, p.7-9, 2016.

POSSOBOM, Clívia Carolina Fiorilo; OKADA, Fatima Kazue; DINIZ, Renato Eugênio da Silva. Atividades práticas de laboratório no ensino de biologia e de ciências: relato de uma experiência. In: GARCIA, Wilson Galhego; GUEDES, Alvaro Martim. (Org.). São Paulo, 2003, v. 1, p. 113-123.

PINTO, Talita Vieira; MARTINS, Ivan Machado; JOAQUIM, Walderez Moreira. A construção do conhecimento em botânica através do ensino experimental. In: XIII Encontro Latino Americano de Iniciação Científica e IX Encontro Latino Americano de Pós-Graduação – Universidade do Vale do Paraíba, Anais do Congresso, São José dos Campos (2009).

SAKAMOTO, C. K. & Oliveira, O. I. Como Fazer projetos de iniciação científica. – São Paulo: Paulus, 2014. Coleção Cadernos de Comunicação. ISBN 978-85-349-3990-4.

SOUZA, Jânua Coely; BONELA, Luciane Aparecida; ALEXANDRE, Henrique de Paula; A importância do estágio supervisionado na formação do profissional de educação física: uma visão docente e discente.Revista Digital de Educação Física – Ipatinga: Unileste-MG - v.2 - n.2, 2007.

SANTOS, F. S. A Botânica no Ensino Médio: Será que é preciso apenas memorizar nomes de plantas? In C. C. Silva (Org.), Estudos de história e filosofia das ciências: Subsídios para aplicação no ensino (p. 223-243). São Paulo: Editora Livraria da Física, 2006.

SILVA, Lenir Maristela; CAVALLET, Valdo José; ALQUINI, Yedo. Contribuição à reflexão sobre a concepção de Natureza no ensino de Botânica. R. bras. Est. pedag., Brasília, v. 86, n. 213/214, p. 110-120, maio/dez. 2005.

SILVA, P. G. O ensino da botânica no Nível fundamental: um enfoque nos procedimentos metodológicos. 2008. Tese (Doutorado em educação para a ciência). Universidade estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, UNESP, 2008.

SACRISTAN, J.G. et al. Compreender e Transformar o Ensino. Trad. Ernani F. da Fonseca Rosa. São Paulo: 4ª ed. ArtMed, 2000.

SILVA, M. J., 2014. Um passeio pela história dos jardins e um olhar para a criação dos primeiros jardins modernos no Brasil. Recife. Rev.: Espaço Acadêmico. ISSN – 1519-6186.

TORRES, P.L & IRALA, E.A. Aprendizagem Colaborativa. In TORRES, Patrícia Lupion (Org.). Algumas vias para Entretecer o Pensar e o Agir. Curitiba: SENAR-OR, 2007.

WILLSON, J. Educação ambiental em jardins botânicos: Diretrizes para desenvolvimento de estratégias individuais/ Ed. Cons. Jane Willson. Ed. Cons. Jane Greene. Rio de Janeiro: Rede Brasileira de Jardins botânicos, 2003.


Apontamentos



Direitos autorais 2021 JUVENAL DAMASCENO AMARAL FILHO

Educação Ambiental (Brasil) | ISSN: 2675-3782

Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn