Impactos da presença humana no ecossistema do Riacho Doce, litoral norte do estado de Pernambuco

João Carlos Morais De Araújo Júnior

Resumo


As lagoas costeiras do nordeste brasileiro são frequentemente impactadas pelas ações antrópicas. Nesse contexto, este estudo teve como objetivo realizar o diagnóstico ambiental dos impactos encontrados no ecossistema do Riacho Doce no município de Goiana – PE. A metodologia adotada neste estudo foi elaborada por meio do checklist que possui caráter exploratório e descritivo. Os resultados indicam processo de degradação ambiental relacionado ao despejo inadequado de resíduos sólidos, desmatamento da mata ciliar, comprometimento do corpo hídrico, dentre outros. Os níveis dos impactos ambientais na região variaram de não impactado a extremamente impactado. Os impactos encontrados no Riacho Doce são causados pelas atividades dos visitantes que atuam de forma ativa ou passiva no processo de degradação ambiental. Desta forma, se faz necessário realizar atividades de fiscalização e educação ambiental para a conscientização e diminuição dos impactos ocasionados pelas pessoas que usam o ambiente do Riacho Doce para atividade de lazer.


Palavras-chave


Impacto ambiental, Atividade antrópica, Educação ambiental, Lagoas costeiras.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Almeida, N. C. C., Santos Junior, C. F., Nunes, A., Liz, M. S. M. (2019). Educação ambiental: a conscientização sobre o destino de resíduos sólidos, o desperdício de água e o de alimentos no município de Cametá/PA. Rev. Bras. Estud. Pedagog., 100 (255), 481-500. https://doi.org/10.24109/2176-6681.rbep.100i255.4007.

Andrade, A. R., Felchak, I. M. (2009). A poluição urbana e o impacto na qualidade da água do Rio das Antas-Irati/PR. Geoambiente, 12(1), 1-25. https://doi.org/10.5216/rev.%20geoambie.v0i12.25985

Araújo, B. G. P., Oliva Júnior, E. F. (2012). Abordagem dos Impactos Socioambientais no Riacho Limeira –Riachão do Dantas/SE. Revista Eletrônica da Faculdade José Augusto Vieira, 5(7), 1-16.

Brasil. Ministério do Meio Ambiente (2010). Lei nº 12.305/10 Institui o Plano Nacional de Resíduos Sólidos. Brasília, Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: https://www.mma.gov.br/cidades-sustentaveis/residuos-solidos/politica-nacional-de-residuos-solidos.html#:~:text=A%20Lei%20n%C2%BA%2012.305%2F10,manejo%20inadequado%20dos%20res%C3%ADduos%20s%C3%B3lidos. Acessado em julho/2020.

Cabral, C. J., Silva, W. F., GIRÃO, O. (2014). Impactos ambientais derivados do uso e ocupação da linha de costa em trechos das praias de Pau Amarelo e Maria Farinha - Município de Paulista/PE: Estudo preliminar. Revista da Casa da Geografia de Sobral (RCGS), 16(1), 74-88.

Cardoso, A. S. (2012). Proposta de metodologia para orientação de processos decisórios relativos a intervenções em cursos de água em áreas urbanas. Tese de Doutorado, Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, BH, Brasil.

Cardoso, R. S., Novaes, C. P. (2013). Variáveis Limnológicas e Macroinvertebrados Bentônicos como Bioindicadores de Qualidade da Água. Revista Nacional de Gerenciamento de Cidades, 1(5), 16-35. http://dx.doi.org/10.17271/23188472152013510

Cervo, A. L., Bervian, P. A., Silva. R. (2007). Metodologia científica (6a ed.). São Paulo: Prentice Hall.

Charles, R., Oliveira, R. C., Spanghero, P. E. S. F. (2018). As principais consequências dos resíduos sólidos sobre o meio ambiente e a saúde da população no município de Cabaret-Haiti. Revista Geográfica de América Central, 61(1), 367-382. https://doi.org/10.15359/rgac.61-3.18

Chaves, L. O Reverso do Mundo (2017). Riacho Doce, na praia de Carne de Vaca, Goiana – PE. Disponível em: https://oreversodomundo.com/2017/01/11/Riacho-doce-na-praia-de-carne-de-vaca/. Acesso em: 26 de abril de 2020.

Christensen, T. H., Bjerg, P. Jensen, D. L. Christensen J. B. Christensen, A. Baun, A.; Albrecgtsen, H. J. Heron, G. (2001). Biogeochemistry of Landfill Leachate Plumes. Applied Geochemistry, 16, 659-718. https://doi.org/10.1016/S0883-2927(00)00082-2

Colet, K.M., Soares, A. K. (2013). Diagnóstico e índice de qualidade ambiental da bacia do córrego do Barbado, Cuiabá-MT. Revista Engenharia Ambiental, Espírito Santo do Pinhal, 10(2), 22-040.

CPRH - Companhia Pernambucana de Meio Ambiente (2003). Diagnóstico socioambiental do Litoral Norte de Pernambuco. Recife, Brasil. Disponível em: http://www.cprh.pe.gov.br/downloads/2diagnostico_ambiental.pdf. Acesso em: 15/06/2020.

CPRM (2005). Projeto Cadastro de Fontes de Abastecimento de Águas Subterrâneas –Diagnóstico do Município de Goiana. Ministério de Minas e Energia: Secretaria de Planejamento e Desenvolvimento Energético, Secretaria de Geologia, Mineração e Transformação Mineral, Programa Luz Para Todos, Programa de Desenvolvimento Energético dos Estados e Municípios – PRODEEM, Serviço Geológico do Brasil – CPRM, Diretoria de Hidrologia e Gestão Territorial. Recife, 2 – 5.

I.B.G.E - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/pe/goiana/panorama. Acesso em 26 de abril de 2020.

Ismael, F. C. M., Leite, J. C. A; Silva, K. B. (2014). Proposta de um Plano de Recuperação para a Área do Lixão em Pombal-PB. Informativo Técnico do Semiárido, 7(1), 1-10, 2014.

Lakatos, E. M., Marconi, M. A. (1996). Técnicas de pesquisa (3a ed.). São Paulo: Editora Atlas.

Lanzer, R. M., Ramos, B. V. C., Marchett, C. A. (2013). Impactos ambientais do turismo em lagoas costeiras do Rio Grande do Sul. Caderno Virtual de Turismo, 13(1),134-149.

Lin, S. H., Chang, C. C. (2000). Treatment of landfill leachat by combined electron-fenton oxidation and sequencing bath reactor method. Water Research, 34(17), 4243-4249. https://doi.org/10.1016/S0043-1354(00)00185-8

Martins, A. P. F., Terto, R. S.; Lima, J. R.; Oliveira, E. (2017). Estudo de Impactos Ambientais na comunidade quilombola Serra Feia - Cacimbas-PB. Agropecuária Científica no semi-árido, 13(1), 121-129. http://dx.doi.org/10.30969/acsa.v13i2.815

Monteiro, J. H. P. et al. (2001). Manual de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos. Rio de Janeiro: IBAM.

Moura, M. O., Lopes, J. L. S., Zanella, M. E., Sales, M. C. L. (2014). A qualidade da água como indicador ambiental no complexo lacustre costeiro da Sapiranga- Fortaleza/CE. Revista de Geografia (Recife), 31(1), 73-88.

Nascimento, M. (2005). Turismo e recreação nas praias do baixo rio Negro – uma avaliação retrospectiva de impactos ambientais. Dissertação de Mestrado, Universidade Federal do Amazonas, Manaus, AM, Brasil.

Pacheco, J. A. L., Gonçalves, J. B., Cruz, K. G. S., Pacheco, A. P. L. (2020). Educação ambiental a partir da reciclagem de óleo de cozinha usado para a produção de sabão. In: Santana, R. F. S.; Aragão Júnior, W. R.; El-Deir, S. G. (Orgs.). Resíduos Sólidos: Desenvolvimento e sustentabilidade. 1a ed. Recife: EDUFRPE, 31-43.

Panizza, A. C. (2017). A importância da Mata ciliar: Entenda por que as formações vegetais ciliares são essenciais para os ecossistemas e para os recursos hídricos. São Paulo. 2016. Disponível em: https://www.cartacapital.com.br/educacao/a-importancia-da-mata-ciliar/. Acesso em 08 abril de 2017.

Pereira, C. S., Rodrigues, M. O. S., Barros, C. L. S., Almeida, B. L. N., Diogo, M. L. S. A. (2020). Identificação de impactos ambientais provocados pelo lançamento de resíduos sólidos e líquidos no Rio Itapecuru. Nature and Conservation, 13(2), 58-66. http://doi.org/10.6008/CBPC2318-2881.2020.002.0006

Poleto, C., Carvalho, S. L., Lima, E. A. C. F. (2004). Problemas de degradação ambiental em uma microbacia hidrográfica situada no município de Ilha Solteira – SP, Brasil e sua percepção pelos proprietários rurais. Revista HOLOS Environment, 4(1), 68-80. https://doi.org/10.14295/holos.v4i1.396

Prodanov, C. C., Freitas, E. C. (2013). Metodologia do trabalho científico: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico (2 ed.). Novo Hamburgo: Feevale.

Rocha, A. R. F. S., Gomes, H. S., Jansen, R. C. S., Sousa, T. N., Sousa, D. H. S., Gomes, G. S., Silva, G. S., Gaspar, J. C., Araújo, M. F. V., Conceição, G. M. (2019). Riacho 3: Análise dos seus impactos ambientais, Caxias, Maranhão, Brasil. Revista Arquivos Científicos (IMMES), 2(1), 72-80. https://doi.org/10.5935/2595-4407/rac.immes.v2n1p72-80

Rocha, M. B., Santos, N. P., Navarro, S. S. (2012). Educação ambiental na gestão de resíduos sólidos: concepções e práticas de estudantes do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Ambiental. Revista de Educação Ambiental, 17(1), 99-122.

Silva, M. B. R., Azevedo, P. V., Alves, T. L. B. (2014). Análise da Degradação Ambiental no Alto Curso da Bacia Hidrográfica do Rio Paraíba. Boletim Goiano de Geografia [Online], 34(1), 35-53. https://doi.org/10.5216/bgg.v34i1.29314

SNE. Sociedade Nordestina de Ecologia. (2002). Projeto técnico para criação do Parque Nacional do Catimbau/PE. Recife.

Sperling, M. V. (1996). Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos (2a. ed.). Belo Horizonte: DESA/UFMG, 243 p.

Vasconcelos, F. P., Coriolano, L. N. M. T. (2008). Impactos sócio-ambientais no litoral: um foco no turismo e na gestão integrada da zona costeira no estado do Ceará, Brasil. Revista da Gestão Costeira Integrada, 2(8), 259-275. http://dx.doi.org/10.5894/rgci134

Vaz, L., Orlando, P. H. K. (2012). Importância das matas ciliares para manutenção da qualidade das águas de nascentes: Diagnóstico do ribeirão Vai-Vem de Ipameri- GO. In: Encontro Nacional de Geografia Agrária, Uberlândia, Brasil.

Vieira, J. S. S., Reis, L., Silva, O. G. (2020). Análise morfodinâmica de ambientes costeiro e estuarino do município de Goiana, Litoral norte do estado de Pernambuco. Revista Cerrados, 18(01), 83-106. https://doi.org/10.22238/rc244826922020180183106

Wetzel, R. G. (1993). Limnologia (2a ed.). Lisboa: Fundação Caloustre Gulbenkian, 919 p.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2020 João Carlos Morais De Araújo Júnior

Educação Ambiental (Brasil) | ISSN: 2675-3782

Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn