Conhecimento ambiental de trabalhadores rurais sobre o uso de agrotóxicos em um assentamento do município de Açailândia (Maranhão)

Carlos Alberto Andrade Serra dos Santos, Jociane Batista Souza, Mathias da Silva Barros, Jhonatam de Oliveira Carvalho, Ivo Almeida Costa, Bruno Lucio Meneses Nascimento

Resumo


DOI

R E S U M O

O objetivo desta pesquisa foi estimular por meio da Educação Ambiental a consciência dos moradores do assentamento determinado para pesquisa, os cuidados no uso de produtos que possuam compostos químicos em sua composição, de forma a evitar enfermidades resultantes do mal uso dos mesmos. Assim, o trabalho é de natureza quantitativa de caráter descritivo, exigido então a realização de entrevista por meio de questionário impresso, tendo como participantes agricultores voluntários do assentamento Agrovila Sudelândia – 50 BIS. Com os dados obtidos é perceptível que os agricultores do assentamento, mesmo tendo acesso a informações precisam de práticas educativas mais ativas, que possam levar uma maior conscientização em relação a saúde e meio conservação meio ambiente. A taxa de intoxicação no assentamento possivelmente está relacionada ao manuseio inadequado dos compostos químicos, além dos entrevistados relatarem que raramente buscam as unidades de saúde quando ocorre alguns sintomas desta intoxicação. Observou-se que os trabalhadores ainda não têm consciência quanto a utilização dos EPI´s, pois não acreditam realmente em sua proteção. Em relação à temática de preocupação com meio ambiente os agricultores não são familiarizados com o assunto, além de não observar a lei que determina o descarte corretos das embalagens, assim, não cumprindo as normas estabelecidas que garantem a saúde e o bem-estar dos envolvidos. Portanto, faz-se necessário ações das entidades competentes fiscalizando e aplicando medidas corretivas relacionadas problemas apresentados nesta pesquisa com intuito de melhorar a qualidade de vida da população.

Palavras-Chaves: Agrotóxicos, Saúde, Educação Ambiental.

 

Environmental knowledge of rural workers on the use of pesticides in a settlement in the municipality of Açailândia (Brazil)

 

A B S T R A C T

The objective of this research was to stimulate, through Environmental Education, the conscience of the residents of the settlement determined for research, the care in the use of products that have chemical compounds in their composition, in order to avoid illnesses resulting from their misuse. Thus, the work is of a quantitative nature of a descriptive nature, then an interview through a printed questionnaire is required, with the participation of voluntary farmers from the Agrovila Sudelândia settlement - 50 BIS. With the data obtained, it is noticeable that the farmers of the settlement, even having access to information, need more active educational practices, which can lead to greater awareness of health and environment conservation. The rate of intoxication in the settlement is possibly related to the improper handling of chemical compounds, in addition to the interviewees reporting that they rarely go to health facilities when some symptoms of this intoxication occur. It was observed that workers are still not aware of the use of PPE, as they do not really believe in their protection. Regarding the theme of concern for the environment, farmers are not familiar with the subject, in addition to not observing the law that determines the correct disposal of packaging, thus not complying with the established rules that guarantee the health and well-being of those involved. Therefore, it is necessary to take action by the competent entities, inspecting and applying corrective measures related to problems presented in this research in order to improve the quality of life of the population.

Keywords: Pesticides, Health, Environmental Education.


Palavras-chave


Agrotóxicos; Saúde; Educação Ambiental.

Texto completo:

PDF (Português)

Referências


Abreu, P. H. B. D., & Alonzo, H. G. A. (2016). O agricultor familiar e o uso (in) seguro de agrotóxicos no município de Lavras/MG. Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 41.

Amarante Junior, O. P. D., Santos, T. C. R. D., Brito, N. M., & Ribeiro, M. L. (2002). Glifosato: propriedades, toxicidade, usos e legislação. Quimica nova, 25(4), 589-593.

Ardoin, N. M., Bowers, A. W., & Gaillard, E. (2020). Environmental education outcomes for conservation: A systematic review. Biological Conservation, 241, 108224.

Ascari, R. A., & Scheid, M. (2012). Fumicultura e a utilização de agrotóxicos: riscos e proteção da saúde. Revista Contexto & Saúde, 12(23), 41-50.

Barroso, L. B., & Wolff, D. B. (2009). Riscos e segurança do aplicador de agrotóxicos no Rio Grande do Sul. Disciplinarum Scientia| Naturais e Tecnológicas, 10(1), 27-52.

Blair, A., Ritz, B., Wesseling, C., & Freeman, L. B. (2015). Pesticides and human health. Occupational and Environmental Medicine,72, 81-82.

Braibante, M. E. F., & Zappe, J. A. (2012). A química dos agrotóxicos. Química nova na escola, 34(1), 10-15.

Cassiano, K. F. D., & Melo, C. F. S. (2014). A saúde humana como eixo da educação ambiental: impactos do uso de agrotóxicos e sua relação com o TDAH. Revista de Educação, Ciências e Matemática, 4(1).

Colin, E. C. D. S., & Pelicioni, M. C. F. (2018). Territorialidade, desenvolvimento local e promoção da saúde: estudo de caso em uma vila histórica de Santo André, São Paulo. Saúde e Sociedade, 27, 1246-1260.

Corcino, C. O., Teles, R. B. D. A., Almeida, J. R. G. D. S., Lirani, L. D. S., Araújo, C. R. M., Gonsalves, A. D. A., & Maia, G. L. D. A. (2019). Avaliação do efeito do uso de agrotóxicos sobre a saúde de trabalhadores rurais da fruticultura irrigada. Ciência & Saúde Coletiva, 24, 3117-3128.

Corrêa, T. H. B., & Barbosa, N. A. P. (2018). Educação ambiental e consciência planetária: uma necessidade formativa Educación ambiental y concienciaplanetaria: una necesidad formativa Environmental education and planetary consciousness: a formative need. REMEA-Revista Eletrônica do Mestrado em Educação Ambiental, 35(2), 125-136.

Costa, F. L. M., & Ralisch, R. (2013). A juventude rural do assentamento Florestan Fernandes no município de Florestópolis (PR). Revista de Economia e Sociologia Rural, 51(3), 415-432.

Costa, M. D. G. S. G. D., Dimenstein, M. D. B., & Leite, J. F. (2014). Condições de vida, gênero e saúde mental entre trabalhadoras rurais assentadas. Estudos de psicologia (natal), 19(2), 145-154.

de Heredia, B. M. A., & Cintrão, R. P. (2012). Gênero e acesso a políticas públicas no meio rural brasileiro. Revista Nera, (8), 1-28.

de Lima, A. F., de Araújo, B. V. S., & de Oliveira, C. S. P. (2017). Caracterização da agricultura familiar em assentamentos da Região oeste do Rio Grande do Norte. Revista Científica Rural, 19(1), 11-19.

de Melo, E. J. (2001). Gênero e jornada de trabalho em assentamentos rurais. PEGADA-A Revista da Geografia do Trabalho, 2(1).

de Sousa Ferreira, I., & Antunes, A. M. (2014). Educação ambiental: construindo conhecimentos sobre a problemática dos agrotóxicos. Ensino, Saude e Ambiente, 7(2).

de Souza Rocha, J. R., & Vissoky, J. (2019). Uso de Agrotóxicos por Trabalhadores Rurais. Revista Interdisciplinar em Gestão, Educação, Tecnologia e Saúde, 2(1), 100-117.

Erdogan, M. (2015). The Effect of Summer Environmental Education Program (SEEP) on Elementary School Students' Environmental Literacy. International Journal of Environmental and Science Education, 10(2), 165-181.

Faria, N. M. X., Facchini, L. A., Fassa, A. G., & Tomasi, E. (2004). Trabalho rural e intoxicações por agrotóxicos. Cadernos de Saúde Pública, 20(5), 1298-1308.

Fassis, F., & de Carvalho, L. M. (2015). Educação ambiental e o uso de agrotóxicos: relações entre o modelo de produção agrícola, a exigência do conhecimento e o papel da escola. Comunicações, 22(2), 309-334.

Fraxe, T. D. J. P., Pinheiro, J. A. C., da Costa, M. S. B., Gonçalves, V. V. C., Oka, J. M., de Sena, G. M., & Pereira, C. F. (2020). Uso de agrotóxicos e seus impactos socioambientais nos municípios de Rio Preto da Eva e Careiro da Várzea, Amazonas-Brasil Use of pesticides and their socio-environmental impacts in the municipalities of Rio Preto da Eva and Careiro da Várzea, Amazonas-Brazil. Brazilian Journal of Development, 6(5), 31429-31451.

Gaspari, L. C. D., & Khatounian, C. A. (2016). Características das famílias, estruturação da produção e estratégias de comercialização em um assentamento de reforma agrária. Revista de Economia e Sociologia Rural, 54(2), 243-260.

Imamura, M. (2017). Beyond the limitations of environmental education in Japan. Educational Studies in Japan, 11, 3-14.

Jallow, M. F., Awadh, D. G., Albaho, M. S., Devi, V. Y., & Thomas, B. M. (2017). Pesticide risk behaviors and factors influencing pesticide use among farmers in Kuwait. Science of the Total Environment, 574, 490-498.

Jardim, I. C. S. F., Andrade, J. D. A., & Queiroz, S. C. D. N. D. (2009). Resíduos de agrotóxicos em alimentos: uma preocupação ambiental global-Um enfoque às maçãs. Química Nova, 32(4), 996-1012.

Jorgenson, S. N., Stephens, J. C., & White, B. (2019). Environmental education in transition: A critical review of recent research on climate change and energy education. The Journal of Environmental Education, 50(3), 160-171.

Junior, N. G., & de Carvalho, M. B. (2017). A utilização de protozoários como organismos bioindicadores em ensaios ecotoxicológicos e suas respostas à exposição a fármacos e outros compostos. Periódico Eletrônico Fórum Ambiental da Alta Paulista, 13(4).

Lai, C. S. (2018). A Study of Fifth Graders' Environmental Learning Outcomes in Taipei. International Journal of Research in Education and Science, 4(1), 252-262.

Lopes, E. V., & Padilha, N. S. (2019). Retrocessos no sistema de comunicação de riscos na rotulagem de agrotóxicos: a classificação da Anvisa. Revista de Direito Ambiental e Socioambientalismo, 5(2), 55-76.

Lopes, L. G. R., & Carvalho, D. B. D. (2015). Dinâmica temporal do assentamento e os projetos de vida da juventude rural. Revista de Economia e Sociologia Rural, 53(4), 571-588.

Mahmood, I., Imadi, S. R., Shazadi, K., Gul, A., & Hakeem, K. R. (2016). Effects of pesticides on environment. In Plant, soil and microbes (pp. 253-269). Springer, Cham.

Meirelles, L. A., Veiga, M. M., & Duarte, F. (2016). A contaminação por agrotóxicos e o uso de EPI: análise de aspectos legais e de projeto. Laboreal, 12(Nº2).

Nguemo, C. C., Tita, M., & Abdel-Wahhab, M. A. (2019). Preliminary screening of pesticides used by farmers in North West Cameroon. International Journal of Halal Research, 1(1), 48-55.

Oliveira-Silva, J. J., Alves, S. R., Meyer, A., Perez, F., Sarcinelli, P. D. N., Mattos, R. D. C. O., & Moreira, J. C. (2001). Influência de fatores socioeconômicos na contaminação por agrotóxicos, Brasil. Revista de Saúde Pública, 35, 130-135.

Otto, S., & Pensini, P. (2017). Nature-based environmental education of children: Environmental knowledge and connectedness to nature, together, are related to ecological behaviour. Global Environmental Change, 47, 88-94.

Pereira, A. S., Shitsuka, D. M., Parreira, F. J., & Shitsuka, R. (2018b). Metodologia da pesquisa científica. UFSM. Disponível em: https://repositorio.ufsm.br/bitstream/handle/1/15824/Lic_Computacao_Metodologia-Pesquisa-Cientifica.pdf?sequence=1. Acesso em: 13/03/2021.

Queiroz, G. R., de Assis Neto, F. I., Peres, G. M., Souza, G. A., Campos, H. M., Alves, I. H., & de Moura Villela, E. F. (2020). Perfil epidemiológico de intoxicação exógena por agrotóxicos no Município de Jataí, Goiás. Brazilian Journal of Health Review, 3(4), 8197-8211.

Santana, C. M., Costa, A. R. D., Nunes, R. M. P., Nunes, N. M. F., Peron, A. P., Melo-Cavalcante, A. A. D. C., & Ferreira, P. M. P. (2016). Exposição ocupacional de trabalhadores rurais a agrotóxicos. Cadernos Saúde Coletiva, 24(3), 301-307.

Sauvé, L. (2005). Educação ambiental: possibilidades e limitações. Educação e Pesquisa, 31(2), 317-322.

Scatena, L., & Duarte, R. D. G. (2006). Como o produtor rural usa agrotóxicos. Journal of the Brazilian Society of Ecotoxicology, 1(2), 191-194.

Shrestha, S., Kamel, F., Umbach, D. M., Freeman, L. E. B., Koutros, S., Alavanja, M. & Chen, H. (2019). High pesticide exposure events and olfactory impairment among US farmers. Environmental health perspectives, 127(01), 017005.

Silva, J. M. D., Novato-Silva, E., Faria, H. P., & Pinheiro, T. M. M. (2005). Agrotóxico e trabalho: uma combinação perigosa para a saúde do trabalhador rural. Ciência & saúde coletiva, 10, 891-903.

Tilman, D., Cassman, K. G., Matson, P. A., Naylor, R., & Polasky, S. (2002). Agricultural sustainability and intensive production practices. Nature, 418(6898), 671-677.

Tung, C. Y., Huang, C. C., & Kawata, C. (2002). The effects of different environmental education programs on the environmental behavior of seventh-grade students and related factors. Journal of Environmental Health, 64(7).

Uttara S., Bhuvandas N., & Aggarwal V. (2012) Impacts of urbanization on environment International Journal of Research in Engineering & Applied Sciences, 2,1637-1645.

Veiga, M. M. (2007). Agrotóxicos: eficiência econômica e injustiça socioambiental. Ciência & Saúde Coletiva, 12, 145-152.

Veiga, M. M., Duarte, F. J. D. C. M., Meirelles, L. A., Garrigou, A., & Baldi, I. (2007). A contaminação por agrotóxicos e os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Revista Brasileira de Saúde Ocupacional, 32(116), 57-68.

Viero C. M., Camponogara S., Cezar-Vaz M. R., Costa V.Z. & Beck C. L. C. (2016). Sociedade de risco: o uso dos agrotóxicos e implicações na saúde do trabalhador rural. Escola Anna Nery 2016; 20(1): 99-105.

Wihardjo S. D., Hartati S., Nurani Y. & Sujarwanta A. (2017). The effects of green schooling knowledge level and intensity of parental guidance on the environmental awareness of the early age student Educational Research and Reviews, 12, 251-252.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Direitos autorais 2021 Carlos Alberto Andrade Serra dos Santos

Educação Ambiental (Brasil) | ISSN: 2675-3782

Revista sob Licença Creative Commons

Language/Idioma
02bandeira-eua01bandeira-ingla
03bandeira-spn